7 dicas para economizar o diesel da sua frota

diesel

Buscar meios de economizar com o diesel no dia a dia de suas operações é fator estratégico e fundamental para uma boa gestão de frotas. Afinal, como estamos acompanhando, o preço do combustível no Brasil vem sofrendo aumentos gradativos e com uma frequência muito rápida de atualizações, o que consequentemente traz impactos diretos ao planejamento logístico de qualquer empresa.

Por esse motivo, o diesel - que já era considerado um custo de extrema importância - agora passa a ser algo estratégico e indispensável no controle de frotas, sendo fator imprescindível para manter a empresa mais competitiva no mercado.

Sendo assim, preparamos este post com algumas dicas sobre como lidar com esse custo e as alternativas que podem ajudar a economizar com o diesel durante as suas operações.

Boa leitura!

Afinal, por que o diesel se tornou um custo essencial para a gestão de frotas?

Como destacamos, os últimos meses foram marcados de aumentos consecutivos no preço do combustível no Brasil, o que, evidentemente, inclui o diesel, usado na maior parte das entregas realizadas no país.

Os motivos englobam uma série de fatores, tanto de políticas internas, como de influências externas. O resultado desse cenário complexo é que empresas e consumidores finais estão sentindo no bolso esse aumento, e isso influencia toda uma cadeia produtiva e comercial como um todo.

Para se ter uma ideia, só em 2021 a alta do diesel nas refinarias nacionais já chega a 49%, e não há expectativas de baixas até o final do ano.

No caso de transportadoras e empresas com frotas próprias, isso traz um impacto direto sobre o valor do frete, o que, consequentemente, é repassado para o preço do produto. Assim, uma cadeia inteira passa a ser afetada com preços exorbitantes a cada período.

Por isso, economizar com diesel se tornou fator estratégico dentro dessas organizações e, quem consegue ter um controle mais apurado e resultados mais eficientes nesse quesito, tende a reduzir custos e até mesmo se tornar mais competitivo no mercado.

Quais os impactos que a alta do diesel traz à gestão de frotas?

O preço do diesel afeta diretamente o valor do frete aplicado em suas operações, o que se estende para o valor do produto no mercado, para o bolso do consumidor e assim por diante.

Logo, economizar com diesel na gestão de frotas deve ser enxergado como um objetivo fundamental para garantir operações mais eficientes e, principalmente, com possibilidades competitivas para a sua empresa.

Para ficar mais fácil de enxergar quais os reais impactos ocasionados pelo aumento do diesel em uma gestão de frotas, destacamos alguns problemas acarretados por essa flutuação:

  • aumento dos custos variáveis;
  • fretes mais caros;
  • produtos mais caros nas prateleiras;
  • operações logísticas com maior risco de prejuízos e gastos excedentes;
  • margens de lucro reduzidas nos produtos;
  • menor competitividade no mercado.

E o que pode ser feito para economizar com diesel na gestão de frotas?

É fundamental ressaltar que não há previsões e expectativas de uma redução ou mesmo estabilização no preço do combustível no Brasil. Logo, os gestores devem entender que essa não é a alternativa e, portanto, tomar decisões estratégicas para tentar reverter ou, pelo menos, minimizar os impactos desse custo dentro das operações.

As opções são muitas, porém não há uma "receita pronta" para ser aplicada a todas empresas. Ou seja, é preciso estudar e implementar soluções, conforme as características e necessidades de cada tipo de operação.

Por isso, vamos conferir algumas dessas práticas.

1. Melhore a roteirização de suas operações

A roteirização da frota sempre foi e será fator fundamental no planejamento e gestão logística de qualquer empresa. No entanto, é preciso assumir que tal prática tem se tornado ainda mais essencial nos dias de hoje, justamente por conta do alto custo do combustível.

Na prática, uma boa roteirização planejada tende a tornar suas operações mais eficientes, e isso pode ser comprovado em diferentes aspectos, tais como:

  • rotas mais eficientes e econômicas;
  • melhor aproveitamento dos veículos em entregas;
  • divisão maior de custos entre diversas entregas;
  • redução de custos gerais (combustível, pedágios, pernoites de motoristas etc.);
  • mais agilidade nas entregas.

Além desses pontos, uma boa roteirização logística pode contribuir na otimização de operações estratégicas, como, por exemplo, coletas, devoluções e fretes de retornos. Ou seja, com planejamento adequado, é possível aproveitar a mesma viagem para diferentes objetivos e, consequentemente, otimizar o gasto com o diesel, entre outros custos da operação.

2. Esteja com a manutenção da frota em dia

A manutenção da frota é outro fator indispensável em uma gestão eficiente na logística. Afinal, questões relacionadas à idade, ao modelo e ao desempenho dos veículos influenciam diretamente o consumo de combustíveis.

Em outras palavras, empresas com frotas muito antigas ou sem controles de manutenção preventiva correm o risco de gastar mais com diesel do que outras organizações.

E quando consideramos isso em uma escala maior, de uma frota completa, por exemplo, os impactos financeiros podem ser incalculáveis.

Dessa forma, mais do que realizar a devida manutenção da frota, é fundamental investir e implementar em uma gestão específica para esse fim, tanto por meio de boas práticas, como por meio de ferramentas tecnológicas desenvolvidas para isso.

4. Calibre seus pneus

Aproveitando o gancho, a calibração dos pneus da frota é uma prática simples e de extrema importância para economizar com o diesel no dia a dia e, portanto, deve ser considerada em seu plano de manutenções essenciais.

Rodar com pneus com calibração inadequada pode acarretar o desgaste maior dessas peças (que também são custos importantes), mas, também, podem influenciar diretamente no desempenho e consumo do veículo.

Isso inclui, evidentemente, o consumo de diesel. Ou seja, pneus mais vazios ou com calibrações diferentes em cada eixo podem consumir mais do que o normal em uma operação, e isso trará impactos a sua gestão de frotas.

5. Tenha um bom planejamento de entregas

Quando falamos sobre isso, não é simplesmente para reforçar a ideia de planejar e roteirizar suas entregas adequadamente.

Por exemplo, o aproveitamento máximo de um veículo para entrega é uma estratégia buscada diariamente em qualquer empresa ou transportadora. Porém, isso não significa "encher" o baú do caminhão com tudo o que for possível e acreditar que, assim, estará economizando com o diesel.

Afinal, os veículos têm capacidades estabelecidas e ultrapassá-las pode comprometer fatores fundamentais, tais como a segurança, o desempenho do motor e, inclusive, o consumo de combustível.

Logo, aproveitamento de veículos precisa, de fato, ser algo estratégico, pensado e focado na eficiência operacional daquela entrega.

4. Capacite os seus motoristas

Tudo o que destacamos são fatores que influenciam diretamente o consumo de diesel do caminhão e, claro, o papel do motorista responsável é algo fundamental nesse aspecto também.

Em outras palavras, a capacitação e treinamento desses funcionários devem ser vistos, também, como estratégia para melhorar o desempenho das operações, o que inclui o consumo mais adequado de diesel.

Afinal, conduzir em alta velocidade, não respeitar as capacidades do veículo, não prezar pela boa manutenção, entre outros, são fatores que prejudicam o desempenho do carro e podem trazer inúmeras consequências, tais como aumento do consumo de combustível, maior desgaste de peças, aumento na frequência de manutenções necessárias e redução da vida útil do caminhão.

7. Automatize os seus controles de custos logísticos

Em tempos de logística 4.0, a automação de diversos controles de uma gestão de frotas é fator imprescindível nos dias de hoje.

Por exemplo, por de meio de softwares e plataformas tecnológicas, atualmente, já é possível controlar e gerir diversos custos inerentes às operações logísticas do dia a dia de uma empresa, tais como:

  • custos com combustíveis;
  • manutenção de frota;
  • pedágios;
  • planejamento de fretes;
  • estoque de peças;
  • acertos com motoristas;
  • pernoites e alimentação.

Para destacar alguns exemplos práticos de soluções tecnológicas viáveis e existentes no mercado de logística hoje, citamos dois softwares considerados fundamentais para qualquer gestão de frotas. São eles:

7.1. Sistema TMS

O TMS, ou Transportation Management System, é um sistema completo e dinâmico que, como o próprio nome sugere, visa gerir todos os processos inerentes à uma entrega.

Ou seja, trata-se de um software de gerenciamento geral de transporte (próprio ou agregado), garantindo controles diversos sobre a operação.

Na prática, o sistema TMS funciona como uma ponte entre gestão eficiente e o seu negócio, visando gerar mais lucratividade nas operações de transportes, melhor aproveitamento da carga transportada, assertividade na geração das informações fiscais e comerciais, além de prover níveis de serviço mais satisfatórios.

Tudo isso de forma eletrônica, dinâmica e inteligente, agregando mais controles, análises e resultados para a sua gestão.

Para entender com mais detalhes tudo o que o sistema WMS oferece como funcionalidade, destacamos algumas possibilidades do software na prática. Confira!

  • Pré-viagem;
  • Fretes e Despesas;
  • Acertos com Motoristas;
  • Recibos, Adiantamentos e Devoluções;
  • Ordem de Coletas;
  • Despesas de Veículos e Fracionamento;
  • Manifesto de Fretes / Carta Frete;
  • Autorização de Serviços e Compras;
  • Imposto de Renda;
  • Disponibilidade de Veículos;
  • Controle de Engate e Desengate;
  • Controle de Portaria.

7.2. Sistema CFT

Como vimos, a gestão de manutenção de frotas é outro fator estratégico para economizar com diesel, além de outros custos relacionados.

E para isso, também há ferramentas adequadas disponíveis no mercado de logística, que garantem mais controles na gerência desses serviços.

O CFT é um software específico para isso, e trabalha de forma integrada a outros sistemas de gerenciamento de frotas, porém com um foco total no que se refere às necessidades de manutenção de veículos.

Em outras palavras, o sistema fica responsável por gerir dados e informações gerais sobre tudo o que engloba a gestão de manutenção de uma empresa, com funcionalidades diversificadas, tais como:

  • Controle de Frota;
  • Controle de Manutenção;
  • Frota Própria ou Agregada;
  • Controle de Peças;
  • Controle de Pneus;
  • Controle de Combustível;
  • Lubrificantes e Agregados;
  • Gerenciamento de Estoque;
  • Manutenção Preventiva;
  • Manutenção Corretiva;
  • Cadastro de Mão-de-obra;
  • Agendamentos de Manutenção.

Assim como no caso do sistema TMS, o CFT também opera de forma 100% eletrônica, com total segurança de dados, relatórios analíticos e praticidade operacional para a gestão de frotas.

Essas são algumas dicas essenciais sobre o verdadeiro peso do combustível nas operações logísticas e quais são as alternativas estratégicas para economizar com o diesel no dia a dia das entregas. Como vimos, boas práticas e ferramentas tecnológicas são fatores fundamentais e que podem contribuir nesse quesito!

Curtiu as dicas? Quer conhecer mais sobre essas soluções para a sua gestão logística? Então, confira todas as ferramentas desenvolvidas pela OnBlox para a sua empresa.

 

OnBlox é uma empresa de desenvolvimento de softwares para gerenciamento logístico.

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.