9 principais equipamentos de movimentação de carga

Você já parou para pensar na forma como a sua carga é transportada dentro do seu armazém? E quais são os equipamentos de movimentação de carga que sua empresa usa? Este é um aspecto fundamental de qualquer negócio, já que, se você contar com técnicas para fazer isso, a tendência é que os processos se qualifiquem.

Do contrário, pode ser que a sua empresa apresente erros que só chamem a sua atenção quando os resultados deixarem de aparecer.

Assim, ações como içar, transportar e deslocar a carga, precisam ser feitas sempre de acordo com critérios. É nessa lógica que máquinas e equipamentos devem ser inseridos. Quando eles ajudam a simplificar a ação humana, não só o transporte, mas também a montagem e o armazenamento dos produtos ganham em qualidade, se tornando mais ágeis e seguros.

É preciso pensar o processo de movimentação das cargas usando o maquinário de maneira que todos os procedimentos se deem do jeito certo. E isso só é possível quando você conhece as opções que o mercado apresenta.

Os equipamentos de movimentação de carga

Todas as máquinas que servem para movimentar os produtos dentro de um armazém são consideradas equipamentos de movimentação de carga. Elas podem ser de uso manual ou, então, automático, e o ideal é que seja especificamente escolhida. Isso porque sua movimentação depende do espaço e do tipo de material com o qual a empresa trabalha.

No geral, a escolha dos equipamentos de movimentação de carga certos pode ajudar sua empresa a alcançar as metas logísticas, gerando benefícios como:

  • ganho de tempo;
  • maior qualidade no serviço;
  • maior segurança para os envolvidos;
  • diminuição de custos.

Assim, na criação de uma estrutura organizacional, é fundamental considerar elementos como a altura do estoque, bem como sua largura e as distâncias. Até porque isso será importante em relação aos equipamentos.

Esses fatores, tanto quanto o peso e o volume dos produtos e grau de dificuldade para o manuseio das cargas, são fundamentais no processo logístico, mas vale considerar, também, aspectos que envolvem a qualidade de vida dos profissionais.

Questões como a ergonomia, por exemplo, garantem que condutores das máquinas não precisem fazer maiores esforços. Isso pode ser observado, também, na escolha dos equipamentos de movimentação de carga, já que alguns são desenvolvidos especificamente para esse fim.

A necessidade de pensar na movimentação de carga

Empresas que lidam com um volume maior de carga precisam se planejar muito bem em relação aos equipamentos de movimentação de carga. Assim, o foco do gestor responsável por esse segmento deve ser sempre o de criar meios para tornar a logística empresarial mais dinâmica. É esse entendimento que pode fazer com que os mais diferentes tipos de procedimentos sejam viáveis.

Isso começa com a devida compreensão a respeito das funções e características de cada equipamento. Claro, são eles que movimentarão as cargas. Por isso, é importante que sejam devidamente escolhidos para atender às necessidades da empresa e garantir a segurança dos envolvidos, evitando ao máximo os riscos com acidentes de trabalho.

É muito comum o erro do gestor que se preocupa com a escolha dos galpões logísticos, mas não dá tanta importância para a definição dos equipamentos de movimentação de carga. Esse erro, que geralmente aparece em um primeiro momento, pode comprometer as atividades logísticas, considerando desde a inclusão até a retirada dos itens.

Por esse motivo, esses itens precisam ser escolhidos de acordo com suas especificações e características próprias, já na fase de planejamento do negócio.

Confira os principais equipamentos de movimentação de carga, saiba para quais situações cada um deles é mais indicado e de que formas você pode tirar o melhor proveito deles.

Os tipos de equipamentos de movimentação de carga

Em geral, dividimos em 3 as categorias de equipamentos existentes:

  • os veículos industriais;
  • os equipamentos de elevação e transferência;
  • os transportadores contínuos.

Os chamados veículos industriais podem ou não ter motor, sendo úteis tanto para o processo de produção quanto para o de armazenagem. Sua característica mais marcante é a flexibilidade de percurso e de carga e descarga. Além disso, eles permitem que toda a operação seja feita dentro de um espaço delimitado livremente pelo condutor.

Já os equipamentos de elevação e transferência servem pra mover cargas de um ponto a outro, dentro de uma área fixa. Não contam com grande mobilidade, sendo essa uma diferença em relação aos veículos industriais. Entretanto, como eles podem ser feitos sob medida, costumam ser soluções mais específicas para as demandas operacionais das empresas.

O terceiro grupo é o dos transportadores contínuos, mecanismos mais indicados para o trabalho com granéis e volumes em trajetos horizontais, ou ainda verticais ou inclinados. Eles são formados por um leito, em que é inserido o material que depois será deslizado em um sistema de correias ou correntes infinito, que deve ser acionado por tambores ou por polias. Geralmente, são utilizados por empresas que trabalham com um maior fluxo de material, que precisa ser transportado em percursos fixos.

Saiba mais detalhadamente sobre as soluções presentes em cada um desses grupos de equipamentos de movimentação de carga a seguir.

Que tal aproveitar para avaliar sua logística gratuitamente? Acesse nosso conteúdo!

Os principais veículos industriais

1. Empilhadeiras

Equipamentos indicados para carga e descarga de mercadorias no setor logístico, as empilhadeiras permitem a movimentação de pesos que vão de 1.000 a 16.000 kg, sem envolver esforço humano.

Elas podem ser de diferentes tipos e modelos, como as empilhadeiras retráteis, as patoladas e as contrabalançadas.

Empilhadeira retrátil

Compacta, perfeita para ambientes internos e que exigem alcançar locais mais altos. No geral, ela é a ideal para situações que exigem maior versatilidade. A empilhadeira retrátil é composta por uma torre, que segue os comandos do operador, permitindo que a ação humana seja mínima e segura, mas, ao mesmo tempo, essencial para que o processo se dê com qualidade.

Além disso, ela tem o diferencial de poder ser substituída de maneira relativamente rápida, caso ocorram problemas como de quebra, por exemplo.

Empilhadeira patolada

Tem como diferencial o baixo custo, tanto na operação quanto na manutenção. Nesse tipo de empilhadeira, o operador pode atuar de pé, andando ou a bordo, sendo essa uma grande vantagem, ou seja, neste caso, os equipamentos de movimentação de carga podem se adequar ao conforto do operador.

Os movimentos de tração e elevação são acionados de maneira eletrônica, o que também é importante para que o operador não faça maiores esforços físicos.

Empilhadeira contrabalançada

Nesse tipo de empilhadeira, o operador atua sentado. Seu funcionamento é simples de entender, já que existe um peso na parte de trás do equipamento, que serve para equilibrar as solicitações da carga. É por isso que ela tem esse nome: é esse contrabalanço que faz com que o sistema se mantenha em equilíbrio ao longo da operação.

Ideais para locais com maior espaço e ambientes externos, que precisam de soluções para percorrer maiores distâncias, essas empilhadeiras podem funcionar com motor elétrico ou a combustão.

2. Transpaletes

Mais indicados para o transporte horizontal de cargas, o que os diferencia das empilhadeiras, os transpaletes são equipamentos de movimentação de cargas que contam com rodas, sendo equipamentos que permitem o deslocamento de materiais com baixo custo.

Existem dois tipos comuns de transpaletes, sempre muito úteis para o deslocamento de itens de maneira ordenada e com baixo custo.

Transpaletes manuais

Costumam ser recomendados para empresas que trabalham com o transporte de cargas em ambientes como armazéns e docas. Sua capacidade máxima chega a 2.500 kg.

Transpaletes elétricos

Equipamentos de movimentação de carga de tração e elevação, eles são acionados de maneira elétrica. Assim, servem para movimentar cargas a médias distâncias, sendo úteis para indústrias e docas.

Podem ser manuseados com o operador de pé ou andando. Geralmente, são inseridos no contexto de cargas que percorrem médias distâncias horizontais, podendo apresentar baixos custos, também, com a manutenção.

3. Comboios

Parecidos com locomotivas, apresentam uma estrutura de compartimentos. Eles são alinhados e devidamente posicionados na parte traseira do veículo. Assim é possível movimentar quantidades maiores de carga, fazendo menor número de carretas. Consequentemente, uma característica desse tipo de solução é a economia.

Por ser flexível, o comboio é uma solução recorrente em pequenas e médias empresas, e ele pode substituir as empilhadeiras em ambientes maiores. Por se tratar de um equipamento de baixo custo, é bastante indicado para negócios desse porte.

Os principais equipamentos de elevação e transferência

4. Guindastes

Para cargas mais pesadas, é importante contar com os equipamentos de movimentação de carga capazes de suportar um grande impacto de maneira recorrente. O guindaste é um dos melhores exemplos disso.

Como ele serve para a elevação e movimentação de materiais mais pesados, é bastante comum em indústrias e na construção civil, sendo os tipos mais comuns a grua e a multiangular.

5. Transelevadores

Servem para a movimentação vertical. Por serem automatizados, eles são muito comuns no armazenamento automático de pallets.

No geral, seu grande diferencial está no fato de que, justamente por conta dessa automatização, os transelevadores contam com uma capacidade maior de armazenagem de materiais, podendo reduzir o consumo de recursos operacionais necessários para a movimentação e a estocagem. Assim, eles têm como gerar considerável diminuição de custos nas operações.

6. Pontes rolantes

Para produtos com maior peso, que precisam ser manuseados dentro de uma área fixa, as pontes rolantes são mais recomendadas. Servem para elevação e transferência de carga, sendo úteis no transporte de produtos mais volumosos ou pesados. Produtos como materiais a granel, por exemplo, também funcionam melhor dentro desse sistema.

Essas pontes podem ser dos tipos:

  • rolante apoiada;
  • suspensa;
  • uni-viga;
  • dupla-viga.

A escolha ideal depende do local onde o transporte será feito. Além disso, vale pena observar o material em questão e a velocidade desejada para a operação.

Os principais equipamentos de transportadores contínuos

7. Esteiras transportadoras

Espaços maiores exigem ganho de tempo na identificação de onde estão as mercadorias e seu transporte. É por isso que as esteiras transportadoras são interessantes, pois permitem maior eficiência nesse processo.

Isso porque eliminam a exigência de ter uma pessoa presente no transporte ou no carregamento das mercadorias, o que diminui os riscos aos materiais e aos funcionários.

8. Monovias

Também indicados para grandes empresas, geram movimentação interna mais rápida, segura e prática.

Funcionam de maneira prática: uma via suspensa liga pontos previamente determinados. É isso o que viabiliza o deslocamento de materiais mais pesados, que não seriam movimentados por humanos.

Essa espécie de esteira suspensa pode ser reta ou curva, podendo movimentar materiais mesmo em armazéns com menor espaço ou com maior tráfego de pessoas.

9. Transportador de roletes

Presentes em indústrias de bebidas, assim como em fábricas menores e no varejo, esse tipo de transportador movimenta materiais usando roletes. Para entender o que são esses roletes, pense em cilindros que podem ser feitos de materiais como polietileno, por exemplo.

Eles são conectados a uma esteira e levam os materiais de um ponto a outro. Isso pode ser feito por conta da gravidade ou da energia elétrica.

A importância de escolher bons equipamentos

É preciso pensar em um método que tenha a ver com a realidade do seu negócio. No fim, o ideal é que você seja capaz de entender o que cada equipamento tem a oferecer para, em função disso, inserir o mais indicado para simplificar o dia a dia da sua empresa. É nessa lógica que todo investimento precisa ser feito.

Isso vai além de conhecer os equipamentos de movimentação de carga que o mercado disponibiliza. Tem a ver, também, com fatores como o espaço que você tem para a alocação desse recurso. Mesmo o layout do local também conta. Afinal, de nada adianta contar com um bom equipamento se seu uso não for viável.

Considere, também, questões como o tipo de embalagem de cada mercadoria e o modo como será feita a armazenagem.

Conduzindo esse processo de maneira racional, você garante benefícios como:

  • maior agilidade tanto na armazenagem quanto no transporte;
  • ganho de qualidade na execução das tarefas;
  • maior produtividade da equipe;
  • possível aumento no lucro da empresa;
  • maior reconhecimento no mercado por conta da excelência nas atividades.

Com bons equipamentos de movimentação de carga, você tem uma solução específica para o seu negócio. Isso te ajuda não só a lidar com problemas de rotina, mas também a tornar os processos internos mais confiáveis.

Agora que sabe sobre os principais equipamentos de movimentação de carga, confira também quais são os tipos de estoque para inserir na sua empresa.

OnBlox é uma empresa de desenvolvimento de softwares para gerenciamento logístico.

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.