Tipos de estoque: qual o ideal para o seu negócio?

Os diferentes tipos de estoque existentes na intralogística refletem um pouco sobre como cada empresa atua e gera suas operações de armazenagem e distribuição no dia a dia. Muito diferente do que alguns gestores imaginam, um armazém não deve se limitar ao espaço físico, que tem como objetivo a única função de guardar e estocar materiais e insumos para a sua distribuição.

Pelo contrário! Hoje, as empresas prezam cada vez mais pela integração e otimização de processos internos de seus armazéns e centros de distribuição, agregando ainda mais importância ao papel da gestão de armazenagem dentro das cadeias de supply chain.

Entre os principais desafios para tornar a intralogística mais eficiente em uma empresa, vale destacar os tipos de estoque existentes, os quais os gestores precisam conhecer a fundo para escolher os mais adequados e eficazes para os negócios.

A seguir, saiba mais sobre esses diferentes tipos de estoque, suas características e, claro, dicas práticas de como implementá-los na sua empresa.

Em primeiro lugar, o que se define como estoque em uma empresa?

Apesar de parecer uma questão óbvia para quem atua no setor de logística, o estoque de uma empresa pode ser variável e, inclusive, englobar diferentes tipos de materiais, que não só os referentes às vendas do negócio.

Ou seja, os tipos de estoque podem também se referir a produtos finais, insumos de produção, embalagens etc - cada qual necessitando de processos, métodos e planejamentos diferentes dentro da cadeia.

Por isso, antes mesmo de nos aprofundarmos nos tipos de estoque mais comuns aplicados nas organizações, é preciso levar em consideração que os métodos e processos podem ser implementados em diferentes tipos de materiais, e não apenas naqueles que serão comercializados pela empresa.

E qual a importância de conhecer os diferentes tipos de estoques?

Uma gestão de estoque eficiente deve levar em consideração as mais variadas características e especificidades dos produtos e operações de uma empresa.

E, visto a infinidade e amplitude deste cenário (onde cada empresa tem suas próprias particularidades), seria impossível implementar um único padrão ideal de armazenagem para todo o mercado.

Logo, conhecer e dominar os diferentes tipos de estoque faz com que os gestores amplifiquem as suas possibilidades e as opções de escolhas a serem aplicadas em suas gestões. Isso faz com que as empresas personalizem e encontrem soluções mais direcionadas, conforme suas necessidades.

Sendo assim, entre as vantagens de em conhecer - e aplicar corretamente - os diferentes tipos de estoque em sua empresa, temos:

Organização e planejamento

Saber definir qual dos tipos de estoque mais adequado para o seu armazém tende, em primeiro lugar, a melhorar a questão da organização e planejamento interno de sua empresa.

Afinal, a armazenagem demanda um fator crucial para a distribuição eficiente dos materiais: a necessidade de espaços físicos.

Logo, quando não há uma organização adequada, a tendência é que o estoque ocupe estes espaços de forma inadequada, aumentando, assim, os riscos de perdas, prejuízos e elevação de custos sem necessidades.

Otimização de processos

Outro fator essencial em saber definir o melhor tipo de estoque para a empresa é que tal prática tende a impactar diretamente na otimização dos processos internos de seu armazém.

Em outras palavras, quando o estoque está devidamente integrado a cada etapa do supply chain, certamente os processos serão mais otimizados, práticos e seguros.

Se os itens são devidamente endereçados dentro do armazém, facilmente rastreados, seguem regras de picking e carregamento pré-definidas, obedecem métodos e sistemas de armazenagem, entre outros exemplos de processos, a tendência é que, independentemente de qual dos tipos de estoque seja, ele será mais otimizado e integrado às etapas do supply chain.

Redução de custos

Outro ponto importante a ser levado em consideração ao definir os tipos de estoques em sua empresa é a questão do custo.

Afinal, como destacamos, os estoques inevitavelmente estão relacionados a gastos diversos, sejam eles inerentes à própria armazenagem, ou aos riscos, como perdas, desperdícios etc.

Com isso, definir bem seus processos e métodos se torna estratégia imprescindível, não apenas visando uma melhor otimização de sua logística, mas também como pilar para manter a saúde financeira de sua empresa.

Redução de perdas e outros gargalos

Complementando todos os outros fatores destacados, os diferentes tipos de estoque também proporcionam melhorias operacionais de acordo com a necessidade de cada empresa.

Exemplo disso é que muitas organizações ainda enfrentam gargalos clássicos, como atrasos na distribuição, erros operacionais e, até mesmo, perdas e desperdícios de seus produtos por uma má gestão de estoque.

E muitas vezes, esses problemas têm origem não somente em processos errôneos dentro da cadeia de suprimentos, mas também na estruturação de seus armazéns.

Ou seja, layouts inadequados, metodologias obsoletas, falta de tecnologias propícias para gestão e, claro, a má definição dos métodos de armazenagem aplicados na empresa.

Assista ao vídeo abaixo e saiba como reduzir os prejuízos com as avarias e devoluções de mercadorias?

Experiência do consumidor

Diferentemente do que alguns gestores imaginam, uma boa gestão de estoque tem, sim, influência direta na satisfação e na experiência final do consumidor.

Ou seja, não implementar metodologias e sistemas adequados de armazenagem em sua empresa pode acarretar em gargalos e problemas clássicos, quase sempre associados unicamente ao transporte.

Estamos falando, por exemplo, de atrasos na distribuição, entregas erradas, indisponibilidade de produtos e até mesmo má qualidade no atendimento. Todas essas questões - e muitas outras - podem ter mais ligação com a gestão de estoque do que com o transporte propriamente dito.

E quais são os principais tipos de estoque aplicados nas empresas?

Conhecendo algumas das suas vantagens, vamos conferir os principais tipos de estoque que as empresas costumam implementar em suas cadeias de distribuição, destacando suas principais características e diferenciais.

Antecipação

Dentro da gestão de estoque, há um fator imprescindível e de suma importância no planejamento dos gestores: a sazonalidade de produtos.

Ou seja, em certos períodos do ano, algumas vendas apresentam uma demanda maior de procura, o que, consequentemente, requer um planejamento específico dos estoques, assim como de suas distribuições.

Dessa forma, em geral, as empresas necessitam prever suas demandas e planejar um volume adequado para atender à demanda destes períodos. Esse tipo de estoque é denominado como estoque de antecipação.

Logo, se sua empresa opera também com a sazonalidade de determinados produtos, é fundamental implementar um estoque de antecipação para não haver gargalos ou falhas durante o aumento dessas demandas.

E para isso, é indicado um estudo prévio do mercado, análises e comparações de históricos passados, definição de previsões factíveis e um bom planejamento operacional ao longo do período.

Proteção

Como o próprio nome já sugere, o estoque de proteção é um dos tipos de estoques que prevêem um resguardo, caso alguma falha ou gargalo venha a interferir na operação.

Ou seja, é um tipo de estoque estratégico que visa suprir qualquer possibilidade de erro ao longo da distribuição e, por esse motivo, é amplamente aplicado em empresas de varejo, do setor alimentício e automobilístico.

Vale destacar, ainda, que estes possíveis "erros" ou "gargalos" nem sempre se dão por questões de falhas operacionais da empresa. Eles também podem ter origem em fatores externos, como greves, variação cambial, falta de insumos para a produção no mercado interno, entre outros.

Ou seja, o estoque de proteção geralmente consegue atender às demandas temporariamente da empresa, mesmo que haja fatores de mudanças previstos para determinado período.

Além disso, o estoque de proteção funciona como uma alternativa de suprimento para altas demandas não planejadas.

Regulador

Entre os diferentes tipos de estoque aplicados pelas empresas, o regulador tem como base a regulação dos volumes no armazém, conforme suas demandas e distribuições.

Em geral, o estoque regulador é implementado em empresas com filiais e centros de distribuição espalhados em pontos estratégicos, e que demandam um volume mínimo para atender ao mercado.

Ou seja, sempre que houver necessidade de repor o estoque mínimo em alguma dessas unidades da empresa, o gestor e sua equipe precisam "regular" tal volume, mesmo que isso requeira retirar itens de outros armazéns da organização.

Ciclo

O estoque de ciclo é também amplamente aplicado entre diversas empresas, em especial, aquelas com produção e montagem de seus próprios produtos.

Em geral, nesses casos, cada componente e insumo dos itens precisa ser produzido, movimentado e armazenado de forma diferente e, muitas vezes, em etapas distintas.

Com isso, é preciso planejar não apenas o estoque do produto finalizado, mas de cada insumo deste ao longo da cadeia.

Para entender melhor como funciona esse tipo de estoque, vamos supor que sua empresa produza o Produto A, que, por sua vez, já se encontra com o nível de estoque máximo atingido no armazém.

Por outro lado, o produto B apresenta um giro de estoque muito mais elevado e vendas mais dinâmicas no mercado. Logo, a estratégia do estoque de ciclo é reduzir a produção do primeiro produto e dar preferência ao segundo, justamente para não haver falta na distribuição e ocupação desnecessária nas prateleiras.

Clique aqui e descubra como calcular o giro de estoque

Assim, cria-se um ciclo de produção, armazenagem e distribuição destes itens, conforme as necessidades e demandas do mercado.

Dropshipping

Um dos tipos de estoque mais debatidos é o chamado dropshipping, em especial, por conta do crescimento das lojas virtuais nos últimos anos.

Além de ser considerado uma metodologia no varejo, o dropshipping é, também, um tipo de estoque em que os produtos são armazenados e enviados por parceiros comerciais da empresa ou da plataforma de vendas.

Ou seja, enquanto a sua empresa realiza a compra, na prática, um outro fornecedor é quem vai realizar toda a parte operacional em seu nome.

E isso requer não apenas parcerias de confiança, mas também planejamento, previsões e infraestruturas adequadas nesses armazéns "terceirizados", como integração com seu sistema de vendas, sistemas de gestão de estoque avançados e capacidade de distribuição.

E como implementar o melhor tipo de estoque em sua empresa?

Como destacamos, não espere encontrar um modelo perfeito entre os diferentes tipos de estoque que vimos até aqui.

Afinal, cada organização requer metodologias e formatos distintos para a sua gestão, e isso é extremamente variável, conforme as especificidades de seus produtos, público e negócio.

No entanto, de uma forma geral, quando o gestor define qual o melhor tipo de estoque implementar em sua empresa, é preciso levar em consideração outros fatores indispensáveis nessa estratégia, como:

Sistemas de armazenagem

Independentemente dos tipos de estoque escolhidos em sua empresa, é fundamental que haja uma infraestrutura adequada para armazenar e movimentar seus produtos no armazém.

E, para isso, é importante definir os melhores sistemas de armazenagem, que atendam às necessidades de seu negócio, como porta-pallets, sistemas drive-thru/drive-in, pushback, autoportante etc.

Métodos de estocagem

Certamente, você já ouviu falar em métodos de estoque e, até mesmo, deve aplicar algum deles em sua empresa. Estamos falando dos clássicos, FIFO, FEFO, LIFO, entre outros.

Definir qual o método mais adequado em suas operações também é papel do gestor, e ajuda a otimizar a movimentação interna do armazém. Essa escolha  deve ser feita considerando qual método se adequa melhor às necessidades de seus produtos, evitando, por exemplo, perdas, aumento de custos e gargalos operacionais.

Baixe o e-book gratuitamente e saiba como utilizar a Curva ABC para gerir o estoque e as ações comerciais.

Tecnologia atrelada à gestão

Por fim, um outro fator indispensável na gestão de estoques é a implementação de tecnologias adequadas para controles, monitoramento e otimização do supply chain.

Caso contrário, na ausência dessas ferramentas, a definição do tipo de estoque pode não surtir tantos efeitos na prática, já que erros operacionais poderão ter continuidade.

Como exemplo mais utilizado entre as empresas, o sistema WMS é, sem dúvidas, a solução mais ampla e completa para uma gestão de estoque, independentemente do tipo definido. Afinal, o software é extremamente flexível e personalizável, de acordo com as especificidades e particularidades de cada operação.

Essas são algumas dicas sobre os diferentes tipos de estoque aplicados nas empresas hoje em dia. E como tudo na logística, dificilmente haverá um padrão comum para todos os casos, demandando, assim, estratégias e decisões específicas de cada gestor.

Por outro lado, de uma forma geral, fatores como os destacados acima (tecnologias, metodologias e infraestruturas), podem - e devem - ser comuns a todos os tipos de negócios.

Sendo assim, se você busca definir o melhor tipo de estoque para a sua empresa, mas já compreendeu a importância de investir na infraestrutura de seu armazém, não deixe de consultar um de nossos especialistas e conheça as soluções avançadas da OnBlox para o seu negócio.

OnBlox é uma empresa de desenvolvimento de softwares para gerenciamento logístico.

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.