Gestão de estoque para e-commerce: como fidelizar clientes

estoque para e-commerce blog

Com a chegada das festas de final de ano, as demandas aumentam consideravelmente para muitos negócios digitais, e é a hora de se organizar com as entregas e os pedidos. No entanto, é fundamental que esse planejamento não se limite ao transporte logístico, mas também consiga englobar práticas e estratégias de gestão de estoque para e-commerce.

Se sua empresa atua com vendas na internet e reconhece que o estoque é fator crucial para o desempenho de suas entregas e, até mesmo, para a satisfação do cliente final, acompanhe.

Por que a gestão de estoque para e-commerce se tornou fator indispensável?

Apesar da crise e de todo o cenário de incertezas em diversos mercados, o e-commerce foi uma das áreas que mais soube aproveitar o momento e crescer consideravelmente nos últimos meses, mesmo em meio a toda essa turbulência.

Aliás, boa parte desse crescimento sustentável e promissor do comércio eletrônico ao redor do mundo se dá com a aceleração de uma tendência de consumo online cada vez maior, e que foi impulsionada pela chegada da atual pandemia de Covid-19.

Dessa forma, pessoas passaram a utilizar mais a internet para diferentes demandas, o que inclui a compra de produtos e serviços diversos.

Isso permitiu que empresas das mais variadas frentes investissem mais no cenário online e aumentassem suas vendas. Por outro lado, muitas delas ainda correm contra o tempo, especialmente em busca de uma adequação logística, capaz de atender a todas essas demandas.

E indiscutivelmente, a gestão de estoque para e-commerce é um desses principais desafios entre muitos gestores, que estão vendo os pedidos aumentarem, mas não conseguem se viabilizar operacionalmente com a eficiência adequada.

Quais as expectativas para o e-commerce nos próximos anos?

Ainda que muitas incertezas pairem sobre o futuro, uma coisa é certa: o consumo online é uma tendência cada vez mais crescente.

Para se ter uma ideia, mesmo em tempos de crise, estimativas apontam que o e-commerce deve crescer 52% até o final de 2021 e seguir nesse ritmo nos próximos anos.

Especialistas acreditam que as festas de final de ano e a retomada de muitos negócios com um maior controle da pandemia são os grandes impulsores desse cenário atual.

Bom para quem tem negócios online, porém um sinal de alerta para quem tem problemas com a logística de seus pedidos. Afinal, como vimos, de nada adianta ter bons produtos, investir em publicidade, criar um site dinâmico e, na hora da entrega, não ser eficiente.

E isso é mais comum do que se imagina! Enquanto as vendas do e-commerce cresceram no período, as reclamações em relação às operações logísticas também. Só entre março e abril deste ano, houve um crescimento de mais de 60% de chamados sobre problemas nas entregas de compras online, segundo relatórios do site Reclame Aqui.

Indiscutivelmente, boa parte dessas reclamações tem origem na ineficiência operacional das empresas, em especial, por conta de uma má gestão de estoque para e-commerce.

Que vantagens são agregadas com uma boa gestão de estoque para e-commerce?

Diferentemente do que muitos pensam, a gestão de estoque não se limita a atividades e tarefas para uma melhor organização e planejamento interno dos produtos da empresa.

Pelo contrário! A otimização de processos e etapas dentro de um armazém pode ter um peso fundamental para o desempenho de suas entregas, para a redução de custos operacionais e, inclusive, para a satisfação final de seu consumidor.

Por isso, a seguir, destacamos algumas das principais vantagens agregadas por uma boa gestão de estoques para e-commerce. Confira!

  • Suprir as demandas de venda.
  • Otimização do capital de giro.
  • Evitar atrasos de fornecedores.
  • Criar estratégias de atendimento.
  • Evitar atrasos de fornecedores.
  • Adequar-se às cotas de fornecimento.
  • Evitar o desvio de produtos e materiais.
  • Liberar espaços produtivos.
  • Identificar produtos que estão sem giro.
  • Identificar produtos que estão sem giro

Que tipos de estoque são utilizados no e-commerce?

É importante destacar que, hoje, a gestão de estoques para e-commerce pode trabalhar em diferentes frentes e com diversas metodologias para melhorar os seus processos.

Para exemplificar melhor isso, nós destacamos alguns modelos mais comuns de estoque para e-commerce. Confira!

Estoque físico único

Este tipo de estoque para e-commerce se assemelha a um de uma loja física, com produtos armazenados em determinado local específico (armazém, centro de distribuição etc) e com itens para pronta entrega, conforme suas demandas.

Esse modelo permite uma gestão única e centralizada do estoque, já que todo o insumo para entrega fica concentrado em um único ponto de distribuição.

No entanto, dependendo da dinâmica e custos, esse formato pode trazer mais desafios em relação aos prazos de entregas e valores das operações.

Estoque descentralizado

Como o próprio nome já sugere, a ideia de "descentralizar" a gestão de estoque para e-commerce surge da necessidade de muitas empresas pulverizarem a sua distribuição, conforme as necessidades de suas operações.

E isso pode ser feito de diferentes formas, como armazéns próprios distribuídos em locais estratégicos, como por meio de terceirização ou parceria com operadores logísticas, transportadores etc.

Estoque compartilhado

Um outro tipo de estoque muito comum no e-commerce é o compartilhado. E, em geral, isso se dá por meio da terceirização de armazéns e centros de distribuição, que disponibilizam seus espaços para diferentes empresas.

A grande vantagem desse modelo está na flexibilidade e custos de armazenagens, já que tudo também é compartilhado com diferentes organizações, o que sai muito mais em conta do que investir em um armazém inteiro só para a sua empresa.

Transit Point

Um modelo de estoque para e-commerce que tem se popularizado cada vez mais no Brasil e no mundo é o chamado Transit Point, ou ponto de trânsito no português.

Na prática, esses "pontos" são distribuidores estratégicos e muito dinâmicos que, simplesmente, recebem o pedido da loja e os repassam em pouco tempo para os entregadores no last mile.

Aliás, hoje, já existem alternativas de serviços On Demand, ou seja, você paga só pelo que usar, como hubs logísticos e lockers inteligentes. Sua empresa aluga um desses armários que ficam em locais estratégicos dentro de centros urbanos, como shoppings, estacionamentos, mercados e deposita suas encomendas ali.

Em seguida, entregadores ou o próprio comprador podem retirar diretamente o produto desse local para finalizar a entrega.

E como otimizar e melhorar a gestão de estoque na prática?

Não há uma "receita pronta" e ideal para a gestão de estoque para e-commerce. No entanto, variadas práticas e estratégias servem como base para melhorar e otimizar diferentes processos de uma cadeia de suprimentos nesses casos.

E para exemplificar melhor os tipos de estratégias, destacamos a seguir algumas dicas essenciais e que devem ser levadas em consideração por todo gestor de um comércio eletrônico, independentemente de sua área de atuação.

Planeje-se com base em dados e tendências

Planejar o estoque para e-commerce é fator estratégico essencial para qualquer operação. No entanto, os gestores precisam se basear em dados e tendências reais sobre suas vendas e demandas.

Ou seja, isso pode ser feito por meio de históricos passados, cálculo de giro de estoque adequado, estatísticas gerais do mercado de atuação, tendências previstas etc.

Em outras palavras, fuja dos achismos, previsões sem nenhum tipo de embasamento ou estudo de mercado, e evite repetir erros passados.

Além disso, o ideal é que esse planejamento seja realizado para cada produto específico de sua empresa, evitando, assim, compras desnecessárias, estoques parados e desperdícios de itens que vendem menos que outros.

Escolha a metodologia que mais se adequa às suas operações

Como vimos, a gestão de estoque para e-commerce pode funcionar com diferentes metodologias e dinâmicas. Logo, não espere um padrão único e ideal, mesmo que outras empresas tenham cases de sucesso.

A gestão de estoque, assim como toda a área de logística, é dinâmica e requer planejamentos específicos, conforme as reais necessidades e especificidades de cada operação.

Dessa forma, nem sempre metodologias que funcionam para uns, podem servir exatamente para outros. Sendo assim, é fundamental que, além de cada tipo de modelo de estoque, o gestor deva conhecer detalhadamente suas operações e escolher o formato que melhor lhe atende.

Calcule o giro de estoque

Calcular o giro de estoque é uma estratégia clássica e fundamental para uma gestão eficiente. E na prática, isso permite prever melhor as suas demandas, entender a origem de alguns custos, planejar melhor suas vendas e entregas e evitar desperdícios e perdas de produtos.

Reforce suas relações com fornecedores

A boa gestão de estoque para e-commerce também depende de um bom relacionamento com fornecedores, em especial em épocas de aumento de demandas, como as festas de fim de ano.

Logo, antes mesmo de planejar suas previsões, confirme se o seu parceiro terá condição de fornecer os insumos necessários e atender aos prazos adequados, se precisará de novos fornecedores etc.

Otimize as suas entregas

Suas entregas precisam fluir dentro da cadeia de suprimentos, caso contrário, a própria gestão de estoque pode sofrer consequências negativas e perder a dinâmica de funcionamento.

Em outras palavras, estoque e distribuição precisam operar com processos e etapas devidamente integradas e sem gargalos que comprometam esse ciclo.

Por exemplo, imagine que sua loja tenha vendas satisfatórias, há produtos em estoque, os procedimentos internos estão aptos a carregar essa demanda, porém não tem veículos à disposição naquele momento.

Ou seja, uma boa gestão de estoque também depende de um canal de escoamento eficiente e dinâmico, que permita tornar esse fluxo contínuo.

Assim, invista, também, na automatização desses processos de transporte e opere sempre em conjunto com a gestão de estoques para que uma não impacte o desempenho da outra.

Automatize seus controles de estoque

Não há gestão de estoque eficiente para e-commerce se não houver controles adequados em todos os processos. E hoje, isso se torna muito mais viável por meio de tecnologias e soluções inteligentes, desenvolvidas exclusivamente para esse fim, como é o caso do sistema WMS.

WMS é pra mim? Ouça o MáximaCast, podcast do Gruo Máxima, e descubra!

Investir nesse tipo de ferramenta em um e-commerce significa automatizar e otimizar praticamente todos os processos e etapas inerentes ao Supply Chain.

Em outras palavras, o sistema WMS permite melhorar todos os controles internos de um armazém, desde a chegada do produto às docas até a sua expedição. Ou seja, portaria, endereçamento, picking e packing, rastreamento dentro do estoque, carregamento, entre outros processos passam a ser controlados com base em dados de cada item.

Isso evita erros, atrasos, falhas e demoras em todos os processos da gestão de estoque para e-commerce e, consequentemente, melhora o desempenho de suas entregas.

Essas foram algumas dicas essenciais sobre como melhorar e otimizar a gestão de estoque para e-commerce e qual a importância prática na rotina de uma empesa desse setor. Como vimos, além de metodologias e processos, hoje, há soluções tecnológicas capazes de melhorar esses controles e tornar o seu armazém muito mais inteligente, eficiente e prático.

Quer saber mais dicas para a gestão de seu armazém? Então, aproveite e descubra como melhorar seu estoque em períodos de sazonalidade. Boa leitura!

OnBlox é uma empresa de desenvolvimento de softwares para gerenciamento logístico.

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.