Rodízio de pneus: como e quando fazer nos caminhões?

Entenda a importância de realizar o rodízio de pneus na frota e, principalmente, como otimizar esse processo na prática.

Estar em dia com a manutenção da frota é papel essencial na rotina de uma boa gestão. No entanto, entre as inúmeras tarefas e responsabilidades que essa atividade demanda no dia a dia do motorista e da empresa, vale destacar uma de suma importância: o rodízio de pneus do caminhão.

Afinal, essa prática permite agregar uma infinidade de vantagens e benefícios ao veículo e ao condutor, desde o aumento da vida útil do pneu, até a economia e desempenho durante a condução.

Apesar dos gestores terem ciência disso, muitas vezes, na prática, falta tempo ou controle adequado para realizar um rodízio de pneus de forma eficiente nas empresas.

E é justamente sobre isso que vamos falar ao longo desse material, destacando informações úteis e conselhos práticos de como implementar uma estratégia eficaz de rodízio de pneus em sua gestão de frotas.

Afinal, o que é o rodízio de pneus de caminhão?

Quem depende do caminhão para sua logística e reconhece a importância de uma boa gestão de frotas na rotina da empresa, certamente já ouviu falar - ou até mesmo já realizou - o rodízio de pneus em seus veículos.

Na prática, o rodízio de pneus nada mais é do que uma rotina de trocas periódicas dessas peças no caminhão, mais exatamente uma mudança de posição dos componentes entre si. Ou seja, em outras palavras, é tirar um pneu de um dos eixos e recolocá-lo em outra posição, visando principalmente equilibrar o desgaste da borracha por igual e evitar que um pneu consuma mais que os outros, por diferentes motivos.

Isso é recomendado, tendo em vista que cada pneu do caminhão está exposto a condições diferentes, sofrendo, assim, atritos variados em cada posição.

Por que realizar o rodízio de pneus no caminhão?

Como vimos, o principal intuito de realizar o rodízio de pneus no caminhão é evitar desgastes desiguais da peça ao longo de seu uso.

No entanto, se pararmos para mensurar os motivos que assuntam essa necessidade nas empresas, conseguimos destacar uma série de fatores que, inevitavelmente, aumentam o desgaste irregular dos pneus. São eles os principais:

Excesso de carga

Sobrecarregar o veículo durante as entregas está longe de ser uma estratégia recomendada na logística, ainda que, à primeira vista, isso pareça vantajoso para a redução de custos.

Afinal, se analisarmos ao longo prazo, veremos que a prática tende a diminuir o desempenho do veículo, forçar o motor, aumentar os riscos de manutenção, acidentes e, obviamente, desgastar os pneus mais do que o esperado.

Além disso, a sobrecarga do caminhão pode acarretar um desequilíbrio interno da carga, demandando mais peso para algumas partes e, consequentemente, consumindo mais a borracha dos pneus de alguns eixos.

Qualidade das estradas

Quem trabalha com logística no Brasil sabe o quão desafiador é cruzar algumas estradas nacionais, vista a qualidade do asfalto e a distância a ser percorrida.

Ainda que esses fatores não dependam diretamente das ações da gestão de frotas, cabe ao gestor e ao motorista prezarem ao máximo pela conservação e os cuidados com o caminhão nessas rotas.

Mesmo assim, buracos, lombadas, estradas de terra, asfaltos desgastados e outros inúmeros problemas recorrentes da malha rodoviária brasileira sempre estarão presentes nos trajetos dos caminhoneiros - e, portanto, sempre serão motivos para a realização de novos rodízios de pneus nas empresas.

Má condução

Outro fator que aumenta a necessidade do rodízio de pneus no caminhão pode estar atrelado à má condução do motorista, evidentemente somado aos demais aspectos já citados nos tópicos anteriores.

Ou seja, excesso de velocidade, freadas bruscas, falta de cuidado e atenção nas estradas são apenas alguns exemplos que, inevitavelmente, demandam um consumo mais rápido dos pneus do veículo.

Por isso, antes de implementar um rodízio de pneus eficiente na empresa, o indicado é focar em treinamentos, conscientização e, também, na criação de políticas de frotas bem claras e detalhadas.

Falta de manutenção

A manutenção - tanto preventiva, como corretiva - é fator essencial dentro de uma gestão de frotas. Portanto, quando não há um cronograma bem definido ou mesmo quando as manutenções são realizadas de forma inadequada, a tendência é que o desempenho do veículo caia gradativamente, e algumas de suas peças tenham um consumo mais elevado do que o recomendado.

Isso engloba, claro, a questão dos pneus. Ou seja, se o veículo apresenta problemas mecânicos com frequência e isso afeta diretamente a velocidade ou força despejada do motor, é muito provável que outras peças aumentem seus desgastes por conta disso, incluindo os pneus.

Logo, estar em dia com a manutenção da frota visa não apenas garantir um bom desempenho do carro, mas também agrega economia, segurança e, principalmente, eficiência no funcionamento das peças.

Qualidade dos pneus

Por fim, um outro fator que interfere diretamente na necessidade de um rodízio de pneus no caminhão é a qualidade dos pneus utilizados. Afinal, hoje, há uma infinidade de marcas e modelos de pneus, cada qual com características, resistência e durabilidade diferentes.

Sendo assim, ao utilizar componentes de baixa qualidade, a tendência é que o rodízio de pneus se torne ainda mais frequente e demande prazos menores para a troca.

O mesmo vale para pneus de qualidades diferentes em cada eixo. Ou seja, aqueles de menor resistência certamente vão consumir a borracha de forma mais rápida do que os demais, podendo, inclusive, tornar o rodízio uma estratégia ineficiente e precisando trocar a peça por uma nova.

Ouça o MáximaCast e saiba tudo sobre a redução de custos com a frota!

Qual a importância de realizar o rodízio de pneus na logística?

Vistos os principais motivos para a implementação do rodízio de pneus nas empresas, é importante destacar que a estratégia não visa unicamente aumentar a vida útil das peças, mas também agregar valores diretos às operações e entregas.

Ou seja, dentro de uma gestão de frotas estratégicas, o rodízio de pneus precisa levar em consideração uma série de outros benefícios e vantagens que vão proporcionar mais eficiência em sua logística, como:

Redução de custos

Quanto sua empresa gasta com compra de pneus para o caminhão? Sem dúvidas, um rodízio de pneus realizado com o devido controle e uma programação estratégica das trocas permitiria reduzir consideravelmente esses custos.

Segurança

A questão da segurança é outro fator primordial dentro da gestão de frotas, e o rodízio de pneus está atrelado diretamente a isso. Imagine, por exemplo, perder uma carga inteira ou até mesmo colocar a vida do motorista e de outras pessoas em risco por um simples pneu estourado na operação.

Prezar pela integridade e segurança das pessoas e materiais transportados é aspecto básico e primordial de qualquer empresa de logística.

Economia de consumo

Há inúmeros fatores que podem influenciar o aumento de consumo do combustível no seu caminhão, entre eles o desempenho dos pneus.

Calibração inadequada e pneus desgastados, somados a outros aspectos, são apenas alguns exemplos do que pode interferir e acarretar um consumo mais elevado de combustíveis e óleos lubrificantes nas suas operações.

Logo, ainda que suas manutenções mecânicas estejam em dia, o rodízio de pneus pode agregar no desempenho e economia de seus veículos.

Desempenho da condução

Além de todas as vantagens já destacadas, o rodízio de pneus também agrega mais desempenho à condução do motorista, evitando, por exemplo, problemas comuns na direção, como ruídos, acidentes, direção puxando para o lado, derrapagens, entre outros.

Clique aqui e veja como realizar uma avaliação de desempenho dos motoristas.

Como deve ser feito o rodízio de pneus no caminhão?

Na prática, no rodízio de pneus é feita a troca de posição de cada componente, conforme uma série de fatores importantes.

Por exemplo, é preciso levar em consideração, pelo menos, os seguintes aspectos:

  • modelo (radial ou diagonal);
  • tipo (simétrico, assimétrico ou unidirecional);
  • tração (traseira, dianteira, 4x4 etc.).

Tudo isso pode ter interferência direta no consumo e desgaste de cada pneu e, portanto, cabe ao mecânico e ao gestor de frotas conhecerem bem seus carros e acompanharem a rotina desses componentes.

Em geral, a troca dos pneus é realizada para equilibrar o desgaste das peças e evitar que um lado consuma mais que o outro, demandando, assim, a substituição mais rápida e cara do componente.

Logo, na prática, se alguns pneus estiverem, por exemplo, mais desgastados do lado esquerdo, a ideia é mudar a posição dos mesmos para que comece a usar mais o lado direito.

O mesmo vale, por exemplo, quando os pneus traseiros apresentam maior consumo que os dianteiros.

Uma prática comum também de rodízio de pneus de caminhão é deixar as peças mais desgastadas nos eixos suspensos, sendo utilizadas apenas quando o veículo está completamente carregado.

E quando deve realizar a troca de pneus do caminhão?

Apesar de haver uma indicação generalizada para a troca dos pneus a cada 10 mil quilômetros rodados, na prática, isso é muito variável e vai depender de todos os fatores que abordamos até aqui.

Por exemplo, estradas em má condição, somadas a uma condução inadequada do motorista, podem acarretar um consumo muito maior do pneu, mesmo antes de completar essa quilometragem.

Logo, o rodízio de pneus deve ser considerado tarefa variável dentro de cada gestão de frotas, sendo acompanhado de perto pelo mecânico, motorista e gestor.

É possível estipular um cronograma de manutenções e trocas periódicas pré-definidas, ou mesmo criar uma rotina de inspeções diárias para avaliar a necessidade do rodízio antes de iniciar uma operação.

Sendo assim, o rodízio de pneus é algo completamente flexível e personalizável às necessidades e características de cada empresa.

E como otimizar o rodízio de pneus em sua gestão de frotas?

Até agora destacamos uma série de vantagens, motivos e dicas de como realizar o rodízio de pneus de forma eficiente em sua oficina. No entanto, trazendo isso para a rotina prática de uma empresa de logística, é preciso incluir a atividade nas responsabilidades da gestão de frotas.

E é justamente aqui que muitos gestores se perdem ou não têm ferramentas adequadas para criar esse tipo de controle.

Hoje, com o advento da tecnologia, é possível investir e implementar em softwares exclusivos para o gerenciamento de manutenções de frotas, o que inclui, evidentemente, o controle do rodízio de pneus.

Atualmente o CFT é a ferramenta mais adequada, completa e avançada para esse fim, agregando uma série de funcionalidades à programação de manutenção de frotas das empresas, como:

  • controle de custos;
  • controle de consumo de combustíveis;
  • compra de peças;
  • estoque de peças e componentes para manutenção;
  • cronograma e agendamento de consertos;
  • gastos com mão de obra;
  • troca de lubrificantes;
  • rodízio de pneus.

Ou seja, uma solução completa e dinâmica para a sua gestão de frotas, que permite não apenas controlar e monitorar as informações inerentes ao rodízio de pneus de seu caminhão, mas também de uma série de outros controles e gerenciamentos fundamentais no dia a dia de uma empresa de logística.

Em resumo, essas são algumas dicas sobre o que é, sua importância e como realizar na prática o rodízio de pneus no caminhão. E como vimos, apesar dos motivos variados e das vantagens agregadas, implementar essa prática com eficiência na rotina da empresa requer controles, planejamento, monitoramento e, principalmente, ferramentas adequadas para o gestor.

Sendo assim, se você busca otimizar a sua gestão de frotas e melhorar sua estratégia de rodízio de pneus na prática, não deixe de agendar uma apresentação do nosso CFT e converse diretamente com um especialista no assunto.

 

OnBlox é uma empresa de desenvolvimento de softwares para gerenciamento logístico.

Deixe seu Comentário

Informações

Se você deseja conhecer mais sobre nossos produtos, ou simplesmente fazer uma visita ao nosso escritório, fale conosco através do formulário de contato.